O Futebol Clube Paços de Ferreira (FCPF) recebeu esta segunda-feira o Futebol Clube do Porto (FCP) no Estádio Capital do Móvel e perdeu a partida por 0-1, com um golo de Mbemba no início da partida.

Os azuis e brancos lançaram-se no marcador aos 7 minutos, por Chancel Mbemba, na sequência de um pontapé de canto. O central do FCP aproveitou a oportunidade para marcar o golo, ainda em fase prematura da partida.

Durante o resto da primeira parte, nenhuma das duas equipas conseguiu criar situações de perigo, exceto o livre de Pedrinho aos 28 minutos, que passou um pouco por cima da baliza portista, e o remate de Hélder Ferreira, aos 34 minutos, que o guarda redes do FCP travou.

Os Castores voltaram do intervalo com energia renovada e logo aos 49 minutos Pedrinho cruzou para Luiz Carlos, que não conseguiu alcançar o tão desejado empate.

Aos 66 minutos, Luiz Carlos viu novamente o golo “de perto”, mas Marchesin estava atento e defendeu o remate à queima-roupa. Nesta altura, os amarelos e verdes estavam a causar uma verdadeira “dor de cabeça” ao plantel portista, através de cantos e cruzamentos perigosos.

Por outro lado, aos 76 minutos, os azuis e brancos ficaram perto de aumentar a distância e afastar a ameaça do empate do Paços. Luiz Díaz poderia ter convertido uma oportunidade única, em que ficou isolado, mas rematou contra o corpo de Ricardo Ribeiro, guardião pacense.

No “esforço final”, o plantel pacense tentou forçar o golo, com um remate de Jorge Silva que forçou Marchesin a uma grande intervenção para impedir o empate.

Também nos derradeiros minutos, o FC Porto lançou-se em contra-ataque e Marega disparou ao lado da baliza do Paços, graças a um corte de Oleg.

Sem somar pontos, o Paços continua com 31 pontos, ocupando agora o 13º lugar devido à vitória do Marítimo frente ao Benfica, por 2-0, escalando assim o clube da Madeira para o 12º lugar.

Já o FC Porto ganhou aumentou a “margem de segurança” relativamente ao Benfica. Os Dragões lideram o campeonato com 70 pontos, mais seis do que os encarnados.






















Fonte: www.imediato.pt