Os vereadores do Partido Social Democrata de Paços de Ferreira votaram, esta segunda-feira, contra a atribuição de refeições escolares gratuitas a todos os alunos das escolas do pré-escolar ao ensino secundário do concelho.

Joaquim Pinto, vereador e líder concelhio do PSD, descreveu o voto social democrata contra a medida como “uma questão de princípio”.

“Durante todo o mandato, sempre que o PS trouxe a proposta das refeições gratuitas para o 1º ciclo, o PSD propôs que fosse alargado ao pré-escolar, porque as crianças estão no mesmo centro escolar e não fazia sentido que uns tivessem direito e outros não. Mas chamavam-nos populistas e diziam que queríamos sempre mais”, disse.

Contudo, Joaquim Pinto acusou o presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, Humberto Brito, de avançar com uma proposta “meramente populista, para se afirmar dentro do próprio partido, depois de ter apoiado a lista com menos votos nas eleições concelhias, e também para preparar já a reeleição”.

Assim, segundo o mesmo, o voto social democrata foi contra a medida, porque muitos alunos do concelho “não precisam da ajuda” e, além disso, “os estudantes que precisam de apoio já estão abrangidos pelo escalões do Ministério da Educação”.

“Entendo que nesta fase quem deveria ser apoiado eram as pessoas e as empresas que estiveram paradas dois meses devido à pandemia. Mas, mesmo que estas pessoas estejam a sofrer, ainda lhe chegam as contas de lixo e da água e nenhuma está a ser apoiada”, alertou.

















Fonte: www.imediato.pt