Paços de Ferreira acerta redução de salários

A pandemia do Covi-19 atinge todos os setores da economia e o futebol não é caso à parte. Segundo dados hoje apresentados pelo jornal OJOGO, os plantéis das equipas da I Liga desvalorizaram 205 milhões de euros no curto espaço de um mês. Segundo o estudo, o plantel do FC Paços de Ferreira que valia 14,70 milhões de euros a 12 de março (dia em que a Liga suspendeu toda a atividade), vale neste momento 12,33 milhões, ou seja, desvalorizou 2,37 milhões no curto espaço de um mês.

Os clubes têm que lutar ainda com a falta de receitas, sobretudo da televisão, que anunciou a suspensão do pagamento do acordo para transmissão das partidas, enquanto o futebol não regressar. Esta torneira representa mais de 70% das receitas dos clubes, pelo que sendo fechada há a obrigatoriedade de estes procederem a cortes financeiros internos, sob o risco de em curto espaço de tempo caírem na falência.

As medidas vão sendo tomadas e variam entre as mais radicais do «lay-off» já assumido por Belenenses e Chaves e as negociações para redução de salários aos profissionais dos Clubes. O FC Paços de Ferreira está, a par do SC Braga e Marítimo, entre os Clubes que já conseguiram negociar com os seus atletas uma redução salarial durante o período de crise.

Segundo confirma hoje Paulo Meneses aos jornais desportivos OJOGO e RECORD o acordo com os atletas está feito, embora não tenha divulgado os pormenores do mesmo. O líder pacense aproveitou para realçar. “Esta atitude demonstra responsabilidade e respeito pelo clube, num momento que é complicado para todos, para o futebol atual e, em particular, para o Paços de Ferreira”.

Foi ainda adiantada a informação de que o mês de março será pago na íntegra aos profissionais do clube, enquanto o acordo de redução salarial se estenderá pelos três meses que faltam cumprir na presente época. Caso a normalidade do campeonato seja reposta, as verbas agora cativadas serão repostas no futuro. “Falámos com os jogadores e todos eles, numa atitude de responsabilidade e consciência pelo que atravessamos, aceitaram fazer um acordo com o Clube no que diz respeito aos pagamentos dos próximos três meses”.

Este acordo no FC Paços de Ferreira evita o recurso à medida mais gravosa do «lay-off», já validada pelo Ministério do Trabalho para os Clubes profissionais de futebol.


FC Penafiel entra em «lay-off»

O Futebol Clube de Penafiel entrou em regime de lay-off simplificado, com redução do horário de trabalho. O clube, que disputa a II Liga, enalteceu “o espírito de cooperação de todos os funcionários (jogadores, equipa técnica, staff e funcionários em geral) que aceitaram e ajudaram à solução encontrada para o bem de todos”.

“Sabendo que a indústria do futebol foi severamente atingida por esta pandemia mundial e que os mecanismos à disposição das empresas têm o objetivo da salvaguarda dos postos de trabalho e da empresa, o grupo Futebol Clube de Penafiel decidiu acionar estes mecanismos de salvaguarda, protegendo assim a empresa e todos os seus trabalhadores/funcionários”, poder ler-se no documento enviado à imprensa.












Fonte: www.imediato.pt