A empresa Águas de Paços de Ferreira (AdPF) adiou a reintrodução do tarifário de 1 de maio de 2017 e requereu a constituição de uma comissão paritária arbitral para garantir todos os procedimentos legais. Humberto Brito não vai negociar com a empresa.

A empresa responsável pela gestão das águas e saneamento no concelho de Paços de Ferreira emitiu esta segunda-feira um comunicado a anunciar o adiamento da aplicação do tarifário de 1 de maio 2017. A decisão desta suspensão tem que ver com o facto de a autarquia entender, através das palavras do presidente Humberto Brito, de que a reintrodução desta tarifa é ilegal, o qual levou a empresa a entender que “apesar de discordar desta interpretação, a Águas de Paços de Ferreira comunica que não irá aplicar a partir de 1 de outubro o referido tarifário”. Tudo porque a empresa diz que “pretende atuar de acordo com os ditames da boa-fé e pautar a relação contratual com a Câmara Municipal pela defesa da legalidade e, nesse sentido, lança mão do mecanismo de resolução de divergências previsto na Cláusula 100º do Contrato de Concessão e, como tal, requerer a constituição de uma Comissão Paritária Arbitral”. Assim, a empresa vai esperar pela decisão da Comissão Arbitral “e adiar para essa data a reposição do tarifário anterior”, concluiu o comunicado.

O presidente da autarquia, Humberto Brito, já reagiu e garantiu que não vai entrar em acordos com a AdPF. Com o título “Tarifário da Água não vai aumentar”, o líder do executivo pacense referiu num comunicado colocado no seu Facebook, de que “foram quebradas todas as possibilidades de entendimento com esta empresa” e que “a partir de agora só descanso quando forem embora e deixarem os cidadãos do meu concelho em paz”. Humberto Brito associou ao PSD local o ‘timing’ escolhido pela empresa para o anúncio da reposição do tarifário de 2017. “Curioso o timing escolhido para anunciar a subida (10 dias atrás) e hoje que afinal não vai subir o preço da água e o facto do PSD local se ter colado politicamente à empresa das águas e a este aumento, que veio para este concelho pelas mãos do PSD”.














Fonte: www.emissor.pt